Um-para-um

Esse tipo de relacionamento não é muito comum em um banco de dados de produção. Normalmente, não há motivo real para que um registro de uma tabela seja combinado a apenas um registro de outra. Essa situação somente iria existir, por exemplo, se estivéssemos dividindo uma tabela muito grande em duas. Para ilustrar o relacionamento um-para-um, imagine que em nosso banco de dados bancário de exemplo haja uma tabela que armazene números PIN para cartões ATM, mantendo-os completamente separados do resto dos registros dos clientes (consulte a figura abaixo). Na maioria dos casos, haveria um registro de número PIN para um registro de cliente, mas pode haver exceções – por exemplo, uma grande conta de depósito pode não ter um cartão e portanto não teria nenhum registro de número PIN associado a ela.

um-para-um


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *